All for Joomla All for Webmasters

E Entrevistas

Entrevista FABIO GÓES

Star InactiveStar InactiveStar InactiveStar InactiveStar Inactive
 

Fabio Góes é provavelmente uma das maiores revelações da música nacional em 2011. Com o lançamento de O destino vestido de noiva fica claro que é possível transitar por caminhos experimentais e fazer uma música mais acessível.

Com influências que vão desde a guitarra de The Edge no U2 e a psicodelia de grupos como Grizzly Bear e Flaming Lips, Fabio Góes faz um som que agrada principalmente quem procura algo novo. Falamos com ele à respeito do processo de composição do álbum, parcerias e muito mais, confira a entrevista.

Entrevista Fabio Góes

Entrevista com Fabio Góes

O álbum “O Destino vestido de noiva”
Fazer mais um disco era um desafio mais pessoal do que qualquer coisa. Eu sou o crítico mais chato que conheço. E até hoje sei onde gostaria de ter melhorado, ter mudado algo etc.. Mas a partir do momento em que me dei por satisfeito com o disco, começou esse momento de soltar o fulho e ver no que dá. E aí não esta mais no meu controle o que vai acontecer, o que não deixa de ser libertador.

Novos caminhos da música pop

Sinto que a possibilidade de fazer música pop com experimentação, com novidade, esta voltando. O que chamamos de "alternativo" aqui, em vários cantos do mundo é considerado pop. A banda francesa Phoenix, por exemplo, é uma que ouço muito, e que aqui é considerada alternativa, mas na Europa é música pop. Essa aproximação eu acredito que seja o momento em que estamos agora.

Participações em “O Destino Vestido de Noiva”

O Curumin eu conheço há muitos anos, e chamá-lo para participar de uma faixa mais "samba rock" foi uma escolha natural. Ele acabou gravando bateria em mais 2 faixas. A Luisa Maita conheci através do disco do Rodrigo Campos, e me encantei com sua voz. temos amigos em comum e pude chamá-la também. Em uma das faixas do disco, "Na Pele", tentei ter um solo de guitarra do Toninho Horta, mas não consegui. Seria bacana, pois a música faz referência ao Clube da Esquina, daí a razão do convite.

A trilha-sonora de “Alice” e uma nova possibilidade

Na verdade foram meus amigos do Coletivo Instituto que fizeram a trilha. Eles escolheram algumas faixas do meu primeiro disco pra fazerem parte da trilha sonora da série. De qualquer maneira, a sincronização de músicas em peças de internet, televisão e cinema é realmente algo em que o mercado fonográfico vem apostando muito. Normal, pois com o fim da "venda de discos", alternativas como esta se tornam a bola da vez.

Conceito do álbum

A idéia é sempre ter um conceito sendo seguido, ou pelo menos buscado, por isso o uso de uma faixa instrumental. Isso alinha a criação, o processo todo. Faz com que o resultado final ofereça uma coerência em relação ao todo.

Ao vivo

O show vai misturar um pouco os dois discos. De qualquer maneira, "O Destino" foi concebido numa formação mais de banda, que é o que temos nesse show novo. Mesmo assim, as adaptações para os arranjos do show sempre acontecem, e os pequenos detalhes do disco as vezes ficam de lado em nome de um todo convincente. São as escolhas!! E não dá pra fazer uma banda de 10 caras porque ai é que não faremos show nunca!

Futuro

Tudo está muito no começo, ainda com grandes desafios para realizar coisas como conseguir levar o show para Rio, BH, interior de São Paulo, fora Nordeste, enfim. Meu sonho é tocar em festivais. Dividiria o palco com qualquer banda com prazer!!!

A música passa por aqui.

Email:

contato@revistasom.com.br

Fone:

11 98022.7441

Mídias Sociais