All for Joomla All for Webmasters

L Lançamentos

Previous Next

Macaco Bong - Deixa Quieto

User Rating: 0 / 5

Star InactiveStar InactiveStar InactiveStar InactiveStar Inactive
 

Recriar certos trabalhos na história da música sempre foi um projeto que caminhou na linha tênue que separa o oportunismo da criatividade. Dark Side of the Moon, do Pink Floyd, tem tantas versões que se perdem no horizonte. Assim como Led Zeppelin, Beatles, Rolling Stones e tantos nomes que escreveram seu nome na história. Alguns deles renderam bons resultados, mas em sua maioria se tornaram apenas tributos dispensáveis na sempre tão imensa oferta de música em tempos digitais.

Deixa Quieto, sexto trabalho do ótimo Macaco Bong, é um daqueles casos que proporcionam um olhar diferente sob um dos maiores expoentes dos últimos 30 anos, o Nirvana, recriando nada menos que o seminal Nevermind. Haja coragem... ainda mais mudando o título de todas as faixas...

O que faz Deixa Quieto ser eficiente é a forma como o grupo cuiabano transformou uma música tão visceral em algo tão minimalista, mas que passa longe daquela estética cristalina que o termo normalmente se refere. Isso fica bem nítido em faixas como Smells Like Teen Spirit (ou Smiles Nike Tim Sprite) e Territorial Pissings (Território Piercing), algumas das mais intensas do disco. In Bloom (Nublum), que já fazia parte do repertório da banda há um bom tempo e já vinha alcançado bons resultados é o encontro definitivo entre o Macaco Bong e o Nirvana. E daí nasce o novo trabalho da banda.

Uma das facetas mais interessantes de Deixa Quieto é seguramente evidenciar o quanto Nevermind foi importante para o grupo e tudo o que cerca essa estética tão visceral aplicada pelo Nirvana. Com Drain You (Drive-in You) e Stay Away (Longe De Tudo), faixas que sempre surgem lado a lado nos setlists da banda, o Macaco Bong dá sua própria cara para o disco e se afasta dos clichês típicos de quem tenta se isentar do lado fã ao realizar esse tipo de trabalho.

Dois dos maiores clássicos do Nirvana, Come As You Are (Com Easy Ou Uber) e Lithium (Lírio) representam resultados díspares no disco. Enquanto a primeira soa sublime, a segunda acaba passando em branco e, ironicamente, é a única que destoa do bom repertório do disco, que ainda tem as boas Polly (Loló) e On A Plain (Móviaje) como destaque, essa última uma verdadeira viagem, típico do trabalho do grupo.

O resultado final de Deixa Quieto é ainda superior para quem nunca ouviu Nevermind de cabo a rabo em toda a vida. Mesmo fruto de uma geração que comprava discos, o trabalho seminal do Nirvana ainda soa novidade para muita gente, garantindo uma redescoberta interessante a quem ainda precisa de argumentos para discutir sobre a relevância do disco, o que muitas vezes não é nítido em um primeiro momento.

Formado em 2004, o Macaco Bong se estabeleceu como sinônimo de criatividade há muito tempo atrás. Deixa Quieto não foge à regra e joga de lado qualquer dúvida que (ainda) pairava sobre a banda cuiabana, uma daquelas boas referências do underground nacional.

A música passa por aqui.

Email:

contato@revistasom.com.br

Fone:

11 98022.7441

Mídias Sociais