All for Joomla All for Webmasters

L Lançamentos

Previous Next

Walter Trout - Survivor Blues

User Rating: 0 / 5

Star InactiveStar InactiveStar InactiveStar InactiveStar Inactive
 

Walter Trout não tem o glamour de Buddy Guy ou BB King. Não faz parte da primeira geração de um gênero tão antigo, mas o ama como se fosse sua vida. Tocou com John Mayall em diversas ocasiões ao lado de Coco Montoya, com o

Canned Heat e tatos outros, enfim, Walter Trout tem no sangue a verve que só grandes nomes do gênero tem.

Dono de uma extensa discografia, o guitarrista se pegou no último ano com o desejo de gravar um álbum de covers enquanto andava de carro pelas estradas americanas. Ouvia I Got My Mojo Working, de Jimmy Smith, quando se perguntou se o mundo precisava de uma nova versão dessa música. A resposta foi rápida: não.

Dessa forma Survivor Blues é um disco que nasce diferente e só engrandece a obra de Walter Trout. Repleto de covers, o disco revigora faixas perdidas ao longo da história e joga luz sobre um trabalho obscuro, mas que “sobreviveu” com o passar dos anos, justificando o título do álbum.

Gravado em Los Angeles, no estúdio do lendário Robby Krieger, (The Doors), Survivor Blues nasceu com mais de 100 faixas gravados, sendo fechado com 12 delas escolhidas pela esposa de Walter, Marie Strout. São versões de nomes relativamente obscuros na história do blues como Jimmy Dawkins, na espetacular Me, My Guitar and the Blues, e Floyd Lee, com Red Sun.

Ainda assim Walter Trout não deixou de lado nomes como seu ex-parceiro John Mayall e BB King, que surgem com Please Love Me e Nature´s Disappearing, respectivamente. Tudo diferente, com nova roupagem e com um vigor impressionante para o guitarrista americano que em 2019 completa 68 anos.

Algumas versões, como Something Inside of Me, de Elmore James, assustam pela qualidade. É como se aquela música tivesse saído das entranhas de Walter Trout e não de outra lenda, até então intocável, da história do blues. E assim segue um álbum que em 12 músicas tem muito a dizer. Seja na arte de entender seus compositores ou na capacidade de Walter Trout em dar uma nova roupagem para músicas que pareciam condenadas ao esquecimento. Mas como define o guitarrista... sobreviveram.

Escolher um disco de covers como projeto é um trabalho que não poderia acontecer como ar de preguiça, tal qual muitos nascem ao longo da história. Dar uma energia diferente para um clássico ou forçar o ouvinte a tentar ouvir as versões originais é parte de um processo que só engrandece a música de seu intérprete.

Não há como negar, Walter Trout é gigante. E sua obra só não é superior a uma coisa, o blues que tanto ama.

A música passa por aqui.

Email:

contato@revistasom.com.br

Fone:

11 98022.7441

Mídias Sociais